quarta-feira, 15 de junho de 2011

Saramago recebe homenagens um ano após sua despedida

Há exato um ano de sua morte, as cinzas do escritor português José Saramago serão depositadas neste sábado (18/6), às 11h, na Casa dos Bicos, em Lisboa.  A cerimônia contará com a participação de Jorge Vaz e Carvalho, que vai ler “Palavras para uma cidade”, da escritora Lídia Jorge, e do grupo de percussão Tocá Rufar.

Os restos mortais do Nobel da Literatura de 1998 serão depositadas no Campo das Cebolas, junto a uma oliveira de Azinhaga do Ribatejo, onde o autor nasceu, a um banco de jardim e a uma placa com a frase “Mas não subiu para as estrelas, se à terra pertencia”, retirada do romance “Memorial do Convento”.

Além desta cerimônia, na sexta-feira (17/6), são apresentados, nos Paços do Concelho de Lisboa, os livros “Palavras para José Saramago”, “O silêncio da Água”, do escritor, e a “A última entrevista de José Saramago”, de José Rodrigues dos Santos.

Um dia depois, na Cinemateca Portuguesa será exibido o documentário “José & Pilar”, de Miguel Gonçalves Mendes, com a presença da jornalista e mulher de Saramago, Pilar del Río. Na mesma sessão serão lançados o DVD e a trilha sonora oficiais do filme. A SIC também apresenta, no mesmo dia, um documentário.

No domingo (19/6), no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, realiza-se o espectáculo “As sete últimas palavras de Cristo na cruz”, com música de Haydn, textos de José Saramago e encenação de Teresa Villaverde. A interpretação está a cargo da Orquestra Sinfônica Portuguesa.

Fonte Jornal de Angola

Um comentário:

José S. Pereira disse...

O último grande intelectual de nossa época. Uma perda que será muito sentida, quanto mais o tempo avançar. Fara falta seu senso crítico e lucidez, nesta nova ordem mundial já tão velha.

Abraços