terça-feira, 12 de abril de 2011

Afinal os portugueses ainda são conquistadores

Portugal já dominou o Mapa Mundo, desbravou terras e explorou mares nunca antes navegados. Mas as caravelas lusas perderam força e há séculos que não "dominam" a cena internacional. Ainda assim, os portugueses continuam a ser líderes em muitas áreas. Veja algumas delas:

Sexy shoes: Os primeiros sapatos à prova de bala são lusos. A associação do setor aponta os sapatos portugueses como os mais sexy da Europa. E são os segundos mais caros do mundo.

Só Cartões: Portugal é o país com mais caixas multibanco per capita da Europa e também onde há mais variedade de funcionalidades na sua utilização.

Peixe vivo: O Oceanário de Lisboa, inaugurado para a Expo 98, ainda hoje é o maior da Europa e o segundo maior do Mundo. Tem 16 mil animais de 450 espécies.

Tomatada: Seja em frasco de vidro ou em pacote bem selado, Portugal é actualmente o maior exportador de polpa de tomate a nível mundial.

Cama feita: Apesar da crise no setor têxtil, Portugal é líder europeu no segmento de têxtil-lar. Nos Estados Unidos milhões de pessoas dormem em lençóis portugueses.

Chapéus: Os chapéus FEPSA, de São João da Madeira, têm fama mundial, mesmo em Hollywood. A Stetson, que faz chapéus de cowboys, compra feltro em Portugal.

Ligar o rádio: A maior fábrica de auto-rádios da Europa está em Braga. No ano passado, a unidade da Bosch produziu 3,4 milhões de rádios e 900 mil sistemas de navegação.

Pequeno mar: O enchimento da barragem do Alqueva, no Alentejo, deu origem ao maior lago artificial da Europa. Tem 250 quilómetros quadrados e 1.100 de margens.

Prato do dia: A unidade de aquacultura da Pescanova, em Mira, é a maior do mundo a produzir pregado em viveiro. Tem capacidade para sete mil toneladas de peixe/ano.

Para beber: A fábrica da Danone, em Castelo Branco, é o maior centro de produção de iogurtes líquidos da Europa. É a única da marca francesa a produzi-los para a Europa.

Leia a matéria completa, escrita por Sara Ribeiro e Emanuel Costa, para o Sol, aqui.

Nenhum comentário: